Dica de livro : " A Cabeça do Cachorro "


Eu ainda não li, está em falta em alguns sites, mas será minha próxima leitura. Na verdade já estou a tempos p ler esse livro.

A autora é Doutora em Ciência Cognitiva e Professora de Psicologia no Barnard College, Columbia University, tendo estudado cognição em rinocerontes, macacos e cachorros.

Capa da edição brasileira: "A Cabeça do Cachorro"

Sobre o livro:

Quando são repreendidos pelo dono eles fazem cara de culpados, arrastam-se para longe, baixam a cabeça e, literalmente, colocam o rabo entre as pernas. Quem tem um cachorro de estimação pode garantir que eles sentem ciúmes, saudade, tristeza e muitos outros sentimentos que são atribuídos aos humanos.
O cão, muitas vezes tratado como um membro da família, especializou-se em observar e reagir ao comportamento humano. O melhor amigo do homem é o animal que o interpreta com mais eficiência: eles têm uma ótima capacidade de aprendizagem (decoram o nome de diversos objetos aos quais as pessoas com quem convivem se referem), confiam mais no dono do que em seres de sua espécie e podem perceber, claramente, o foco de atenção das pessoas.

Nos últimos 15 anos, o números de estudos e pesquisas sobre o comportamento canino cresceu consideravelmente em todo o mundo. A americana Alexandra Horowitz, do departamento de psicologia do Barnard College de Nova York, é responsável por uma das mais importantes investigações sobre as atitudes e reações dos cães.
 Nesta obra, Horowitz, que também estudou a cognição de humanos, rinocerontes e primatas, reúne sua paixão pelo universo canino com as mais recentes descobertas científicas para explicar como os cachorros percebem o mundo ao seu redor, como interagem uns com os outros, e qual a natureza do relacionamento deles com os humanos. Alexandra conduziu experimentos com cachorros e seus donos.

Em um deles, por exemplo, o dono mostrava algum alimento ao animal, dava ordem a ele para comer e saia do local. Enquanto o dono não estava na sala, o cão ingeria a comida ou essa era retirada pelos pesquisadores. Em alguns dos testes, o dono voltava para o local desinformado - achando que o cachorro o havia desobedecido, por exemplo, quando o cachorro não havia comido nada.

Ao perceber alguma desobediência o dono dava uma bronca em seu animal de estimação. Horowitz percebeu que as reações relacionadas à "cara de culpa" eram manifestadas independente de o cão ter ou não desobedecido.
A conclusão da psicóloga e especialista em comportamento animal foi que os cachorros aprenderam, a de certa forma, reagir em resposta ao comportamento de seus donos: "nós geramos o contexto que os estimula a produzir aquela cara", explica a professora.

0 Comentários:

Postar um comentário

Mon Amour Megan