Síndrome do Banho e Tosa?


Gente, esse assunto é muito sério! Eu nunca tinha ouvido falar sobre isso e agora ficamos ainda mais com medo...
Depois de vários casos de cães que foram apenas tomar banho e o dono foi buscar o cão já falecido, me deixa mais intrigada com essa história, pois tem acontecido com bastante frequência...fora os casos que acabam esquecendo os cães dentro do carro do banho e tosa.

Cada vez mais as pessoas tem utilizado serviços de banho e tosa em petshops para seus animaizinhos de estimação. Certamente isso se deve à grande oferta desse tipo de serviço, à falta de tempo dos proprietários de animais e ao convívio intenso de cães e gatos com as pessoas. É claro que essa grande demanda tem sido muito positiva para o mercado pet, porém é importante avaliarmos também o bem estar do animal.

Médicos veterinários já discutem a respeito da Síndrome do Banho e Tosa, ou seja, um conjunto de sinais e alterações clínicas e comportamentais geradas pela visita do animal ao pet shop para procedimentos estéticos. O despreparo das pessoas que trabalham nesses estabelecimentos pode gerar diversos problemas de saúde ao animal. Uma contenção inadequada pode trazer transtornos de comportamento e até lesões físicas por traumatismos. Isso sem comentar que muitas pessoas sem habilitação utilizam sedativos e anestésicos nos animais para facilitar o banho, sem saber os riscos e efeitos de cada droga. Entretanto, os problemas mais comuns observados na síndrome são as dermatopatias (doenças de pele) e otopatias (doenças nos ouvidos).

A alta freqüência de banhos retira a proteção lipídica da epiderme, causando a perda da integridade da derme. Com isso, a pele fica mais sensível, podendo apresentar prurido e descamação. Há também uma facilitação do desenvolvimento de agentes patogênicos como bactérias, que causam as piodermites, e fungos, causadores das dermatofitoses. Logicamente que animais com doença de pele já estabelecida devem ser banhados com maior freqüência e utilizando xampus terapêuticos, porém esses são casos isolados. De forma geral, para cães que vivem dentro de casa, o banho quinzenal costuma ser o ideal, enquanto que animais que vivem em pátios podem ser banhados mensalmente ou até com intervalos maiores. Esses prazos dependem do caso, variando com o estilo de vida do proprietário e do animal, e da raça, pelagem e tamanho do cão.

Outro problema observado em alguns estabelecimentos é o uso de produtos inadequados para a espécie. Há lugares que utilizam xampus ou sabonetes de uso humano e até sabão em barra para diminuir o custo dos banhos. Obviamente esses produtos são extremamente agressivos para a pele do animal, pois não foram desenvolvidos para esse fim, e certamente vão causar alterações semelhantes às citadas anteriormente.

Ainda é importante ressaltar que o secador muito quente e utilizado muito próximo a pele do animal pode causar pequenas reações locais e até queimaduras sérias. As lâminas de tosa muito quentes ou mal higienizadas também podem provocar doenças de pele nos animais.
Todos estes problemas podem ser facilmente evitados se a pessoa responsável pelo setor de estética do estabelecimento estiver bem orientada e preparada para exercer a função. Atualmente, o Conselho Regional de Medicina Veterinária determina que os locais que oferecem o serviço de banho e tosa tenham, obrigatoriamente, um médico veterinário responsável. Portanto, leve isso em conta na hora de escolher onde levar seu animalzinho para o banho.

Por isso, pesquisem muito bem a petshop que vai levar o seu cachorrinho.

E para quem compra meus cães, eu sempre indico dar o banho em casa mesmo, mas se a pessoa não pode ou não quer, só me resta alertar...

Claro que como em tudo, não podemos generalizar! Existem excelentes petshops, excelentes veterinários, pessoas que realmente se preocupam com o bem estar animal.
Mas é de extrema importância a pesquisa antes de levar o seu cãozinho na pet.

A Maior Raça Do Mundo

A maior raça do mundo - Irish Wolfhound

Quando se fala em a maior raça de cães, já pensamos no dogue alemão, são bernardo...mas não!!!A maior raça de cães do mundo é o Irish Wolfhound.
Tá certo que a aparência não é das mais belas, mas é uma raça bem interessante de conhecer!


Estes cãezinhos podem chegar até 2,30m de altura em pé, e 90 quilos!!
A cor pode ser cinza, rajado, vermelho, preto, puro branco e castanho claro.


São cães muito dóceis, mas por causa do tamanho gigante precisam saber conviver com pessoas, ou seja, precisam ser adestrados. Quase não latem e são bem mansos.


A raça é Lébreu, que caça pela visão. Era uma raça utilizada para caçar lobos.
Eles precisam correr todos os dias para gastar energia.
Na questão de despesas, você não vai gastar muito com ração, pois não comem muito, mas em compensação, um filhote da raça está custando em média R$ 8 mil!
Curiosidade: Os machos não levantam a perna para fazer xixi, e as fêmeas só entram no cio 1 vez por ano, e não 2 como as outras raças.


Smart Pet


SMARTPET um robô-cachorro para iPhone

Já pensou em ter um animal de estimação robótico que não só controlado pelo seu iPhone, mas também usa seu smartphone para expressar emoções? O criador do Tamagotchi original, já!






A fábrica de brinquedos japonesa Bandai resolveu unir o carinho pelos animais de estimação com a tecnologia de ponta e criou o SMARTPET, uma espécie de cão robô, que na verdade é um suporte para iPhone e iPod touch. Segundo o site Info Exame, a invenção permite o uso de um aplicativo gratuito, para que o usuário possa ter a experiência de ver o seu iPhone ou iPod touch reagir ao toque na tela, como se fosse um cão de verdade.




O animal robô faz mais de cem expressões faciais.
O cão ainda faz outros truques a partir do comando de voz ou utilizando a câmera do aparelho.


Você poderá alimentar o Smart Pet, se comunicar, brincar e mudar a carinha do bichinho. Um passatempo para aqueles momentos estressantes do nosso dia-a-dia e diversão para as crianças.




Não é fofo? Quem não quer um desses não é mesmo?!


Fonte: Revista Info Exame
Fotos: Revista Info Exame / G1

Entendendo o Gen Fígado e Azul



O Cruzamento de 2 cães sólidos podem gerar filhotes sólidos e parti colores.
O cruzamento de 2 cães parti colores jamais gerarão filhotes sólidos, se tiver isso é uma fraude.
Nunca cruzar fígado com fígado, fígado com azul ou azul com azul. Lembrem que os chocolates são fígados.
Os azuis têm a trufa (nariz) azul, fígado tem a trufa marrom.
O resultado destes cruzamentos podem trazer muitos defeitos genéticos nos filhotes. Assim deve-se ficar ciente quando se compra um filhote dessas combinações de cores. Muitos morrem prematuramente quando nascem.
Você pode comprar estas cores, mas não comprá-los do cruzamento destas cores.
Mesmo uma ninhada de 1 particolor e 1 fígado poderá aparecer uma grande quantidade de defeitos.
Os Shih Tzus totalmente branco tende a ter defeitos nos olhos, geralmente ocorre a despigmentação. Às vezes se vê um Shih Tzu adulto totalmente branco, mas ele é com cor creme que clareou e parece branco.

A sua cor é baseada na pigmentação do seu nariz e pele , e não em a cor do seu pêlo. Eles também podem ter o fígado ou pigmentação azul nas bordas dos seus olhos, almofadas dos pés, pele e lábios.

Uma boa regra para usar quando determinar a cor é:

Nariz e Trufa PRETO

Nariz e Trufa AZUL (Beringela)

Nariz e Trufa FÍGADO
Outra informação muito importante:

Geralmente os Shih Tzus totalmente albinos morrem até a 2ª semana de vida.. (geralmente)
Fígados e azuis podem ser  pesadelos para defeitos.( Isso a nível de criação ) Assim como os totalmente brancos para problemas genéticos nos olhos. Mas podem ser grandes cães para companhia e nunca para reprodução.
Todos os cães são geneticamente pretos. As outras cores surgem através da cor preta diluindo-se. A cor preta é dominante. A cor dourada recessiva para o preto, mas dominante para o fígado.
O fígado ou chocolate que é a mesma coisa é uma cor diluída. Diluir cães como o fígado, o azul e o totalmente branco muitas vezes têm problemas de pele, juntamente com outros problemas, tais como mordedura ruim. Preta com qualquer cor pode produzir a cor preta. Existem genes que podem modificar o preto para o fígado ou diluir para o azul.


A maior mentira é o gene do "IMPERIAL SHIH-TZU" que é dito como "especial, micro, mini, etc.". Sim, ele é "bem" especial, é chamado de "anão". Por que você quer comprar um animal com um defeito genético?
Qualquer animal pode ser reduzido por endogamia (cruzamento entre parentes). Apenas criadores experientes que conhecem os seus cães podem fazer cruzamentos consangüíneos e mesmo assim existem os defeitos genéticos que não estão estereotipados.

Para esta análise, todos Tzu Shih serão classificados como a cor (ou marcação), como um dos seguintes:

1. COR recessiva (e, portanto, um portador do gene recessivo)
2. PORTADOR gene recessivo (mas não uma cor recessiva)
3. Gene recessivo NÃO PORTADOR (e, portanto, não uma cor recessiva)

Parent # 1
Parent # 2
Puppies
COR
COLOR
COR
100 %
COR
PORTADOR
COR
PORTADOR
50 %
50 %
COR
NÃO PORTADOR
PORTADOR
100 %
PORTADOR
PORTADOR
COR
PORTADOR
NÃO PORTADOR
25 %
50 %
25 %
PORTADOR
NÃO PORTADOR
PORTADOR
NÃO PORTADOR
50 %
50 %
NÃO PORTADOR
NÃO PORTADOR
NÃO PORTADOR
100 %


 fonte: Este artigo foi traduzido por uma criadora de shihtzu americana que cria a raça desde 1986, eu não achei o link da página, mas na época que eu descobri esse artigo salvei.

Dica de livro : " A Cabeça do Cachorro "


Eu ainda não li, está em falta em alguns sites, mas será minha próxima leitura. Na verdade já estou a tempos p ler esse livro.

A autora é Doutora em Ciência Cognitiva e Professora de Psicologia no Barnard College, Columbia University, tendo estudado cognição em rinocerontes, macacos e cachorros.

Capa da edição brasileira: "A Cabeça do Cachorro"

Sobre o livro:

Quando são repreendidos pelo dono eles fazem cara de culpados, arrastam-se para longe, baixam a cabeça e, literalmente, colocam o rabo entre as pernas. Quem tem um cachorro de estimação pode garantir que eles sentem ciúmes, saudade, tristeza e muitos outros sentimentos que são atribuídos aos humanos.
O cão, muitas vezes tratado como um membro da família, especializou-se em observar e reagir ao comportamento humano. O melhor amigo do homem é o animal que o interpreta com mais eficiência: eles têm uma ótima capacidade de aprendizagem (decoram o nome de diversos objetos aos quais as pessoas com quem convivem se referem), confiam mais no dono do que em seres de sua espécie e podem perceber, claramente, o foco de atenção das pessoas.

Nos últimos 15 anos, o números de estudos e pesquisas sobre o comportamento canino cresceu consideravelmente em todo o mundo. A americana Alexandra Horowitz, do departamento de psicologia do Barnard College de Nova York, é responsável por uma das mais importantes investigações sobre as atitudes e reações dos cães.
 Nesta obra, Horowitz, que também estudou a cognição de humanos, rinocerontes e primatas, reúne sua paixão pelo universo canino com as mais recentes descobertas científicas para explicar como os cachorros percebem o mundo ao seu redor, como interagem uns com os outros, e qual a natureza do relacionamento deles com os humanos. Alexandra conduziu experimentos com cachorros e seus donos.

Em um deles, por exemplo, o dono mostrava algum alimento ao animal, dava ordem a ele para comer e saia do local. Enquanto o dono não estava na sala, o cão ingeria a comida ou essa era retirada pelos pesquisadores. Em alguns dos testes, o dono voltava para o local desinformado - achando que o cachorro o havia desobedecido, por exemplo, quando o cachorro não havia comido nada.

Ao perceber alguma desobediência o dono dava uma bronca em seu animal de estimação. Horowitz percebeu que as reações relacionadas à "cara de culpa" eram manifestadas independente de o cão ter ou não desobedecido.
A conclusão da psicóloga e especialista em comportamento animal foi que os cachorros aprenderam, a de certa forma, reagir em resposta ao comportamento de seus donos: "nós geramos o contexto que os estimula a produzir aquela cara", explica a professora.

Como Lidar com o Choro do Filhote


O choro do filhote tem finalidade muito clara: chamar a atenção da mãe em momentos de estresse causados por motivos como solidão, fome ou frio. A mãe, por sua vez, procura confortar prontamente o filhote que chora.

O novo proprietário, ao levar o cãozinho para casa, o separa da mãe e dos irmãos, colocando-o num ambiente completamente diferente, com outros cheiros e barulhos. Para piorar, na hora de dormir, muitas vezes o filhote é deixado sozinho, isolado de todos na área de serviço ou num quartinho. É natural que se sinta inseguro e chore tentando chamar a mãe.

Atitude dos proprietários
Ao ouvir o choro, os novos donos costumam ir ver se está tudo bem. Depois, deixam o filhote sozinho e ele chora outra vez. A cena se repete, deixando os moradores da casa irritados. E o cãozinho leva bronca a cada visita do dono, que quer silêncio. Alguns proprietários passam grande parte da noite e da madrugada nessa situação, torcendo para não arrumar encrenca com os vizinhos por causa do barulho e nem levar multa do condomínio. Outros desistem das idas e vindas e levam o filhote para dormir no quarto ou acabam pegando no sono ao lado do cão, no local onde ele está.

Estímulo involuntário
Em todas essas situações, o filhote logo relaciona o estar se esgoelando com a chegada de alguém. E, mesmo levando bronca, se sente gratificado. De tão assustador que é para ele ficar sozinho, a presença da pessoa é um alívio. A bronca acaba, portanto, tendo resultado oposto ao esperado. E incentiva a chorar mais em vez de acabar com o choro.
Ao sentir-se recompensado, o filhote pode aprender o tipo e a intensidade de choro que resultam em mais visitas, passando a utilizá-los com maior freqüência, para infelicidade de donos e vizinhos.

Como lidar com o choro?
A recomendação clássica é oferecer ao filhote um cantinho o mais aconchegante possível. Coloca-se no local um pano com o cheiro da mãe e dos irmãozinhos (esfrega-se o pano neles quando se vai buscar o filhote), uma bolsa de água quente e algo que faça um barulhinho capaz de distrair, como um relógio ou um rádio em volume bem baixo. Sempre que o filhote for deixado nesse local, a regra é ignorar os ruídos que faz para chamar a atenção, não o recompensando com visitações. Dessa maneira, espera-se conseguir que o choro acabe em algumas noites.

Leve-o para dormir com você
O filhote poupado de situações demasiadamente estressantes tende a ser mais confiante e corajoso, ao contrário do que alguns imaginam. Além disso, o estresse forte pelo qual passa o cãozinho que se desespera por estar sozinho pode também prejudicar o sistema imunológico, resultando em maior facilidade de contaminação por doenças e parasitas.

Atualmente, a recomendação é não deixar que o filhote se sinta completamente abandonado no período inicial da grande mudança que lhe foi imposta. Assim, nas primeiras noites, podemos permitir que ele durma na companhia de alguém. Mas o cão não deve atribuir isso ao fato de ter se esgoelado, caso contrário se sentirá estimulado a esgoelar cada vez mais.

O procedimento é gradual. Quando, alguns dias depois da chegada à nova casa , o filhote estiver familiarizado com ela e com os novos cheiros e barulhos, é levado para dormir em seu espaço definitivo. Já ambientado, ele não estará mais tão inseguro. E, se reclamar quando deixado sozinho, poderemos ser mais firmes para conseguir silêncio. Uma técnica é usar uma lata cheia de moedas e sacudi-la sempre que o filhote iniciar os latidos ou o choro. As broncas devem ser rápidas e secas, para evitar que ele se sinta recompensado por latir ou chorar.

Fonte: Revista Cães & Cia, n. 311, abril de 2005

Hanna no seu novo lar!

Hanna tem uma nova maninha, chamada Ágata! As duas se deram tão bem que não se desgrudam mais! é mto amor!!!
Obrigada pelas fotos Lara e Ágata :D




Grace Kelly no seu novo lar

Grace foi embora ontem para seu novo lar! Se adaptou perfeitamente, parece até que foi amor a primeira vista, é notável isso nas fotos! rsrsrsrs

Felicidades Evandro e Grace!
Amei as fotos! já estou com saudades hahaha




Mon Amour Megan