Ter um ou mais cães: vantagens e desvantagens

Muitos proprietários de cães perguntam se devem ou não comprar um segundo cão. Mostramos os prós e os contras de cada alternativa

Amenizar a solidão:
Como animais sociais que são, os cães não gostam de ficar sozinhos. Embora sintam a falta do dono, a companhia de outro cão ameniza bem a solidão. Mas, por outro lado, infelizmente, nem todo cão aprende a substituir a companhia de um ser humano pela de outro cão. Principalmente quando não foi sociabilizado adequadamente com outros cães.

A bagunça aumenta ou diminui?
A destrutividade canina tanto pode aumentar quanto diminuir com a vinda de um segundo cão. Se os dois brincarem juntos, o estrago que produzirão será menor do que se um deles for deixado sozinho. Mas, na maioria das vezes, um dos cães incentiva o outro a fazer coisas erradas!Quando sozinho, em geral, o cão fica desmotivado e inativo. Pouco destrói, portanto. Nesse caso, se a presença de outro cão estimular o primeiro a agir durante a ausência das pessoas, a bagunça será maior do que quando o único cão era deixado sozinho. Mas é preciso lembrar que mais bagunça é também mais alegria e mais bem-estar para o cão.

Pode haver briga?
É normal e aceitável que haja alguma agressividade entre os cães que vivem numa mesma casa. Mas, em certos casos, as brigas resultam em machucados sérios que podem, inclusive, levar à morte.Quanto mais cães houver, maior a chance de sair uma briga séria. Ter só dois cães é muito mais seguro do que ter três, quatro, etc. Em grupos grandes, muitas vezes o cão que está perdendo a briga é atacado pelos demais e, nesse caso, a conseqüência costuma ser grave.Para reduzir as chances de brigas sérias, é preciso ter um bom controle sobre os cães e fazer a escolha correta dos indivíduos que comporão o grupo. Muitas pessoas acham que filhotes da mesma ninhada não brigarão quando adultos, assim como mãe e filha, pai e filho, etc. Esse é um conceito errado.O risco de um macho brigar com uma fêmea é menor do que o de dois exemplares de mesmo sexo brigarem, mas o casal deverá ser separado duas vezes por ano quando a fêmea entrar no cio, se o macho não for castrado e se não se quer reproduzi-los. A separação pode ser bastante inconveniente – o macho costuma ficar desesperado para chegar na fêmea.Se houver possibilidade de ocorrerem brigas, os proprietários não podem deixar brinquedos e ossos muito atraentes à disposição dos cães. A restrição dependerá de como é o convívio dos cães e de como eles expressam sua agressividade possessiva.

Ciúmes e competitividade:Quando se tem mais de um cão, ciúmes e competitividade são comuns, principalmente visando ganhar a atenção do dono. Para conseguir manter os cães sob controle é preciso demonstrar segurança e firmeza e ter liderança sobre eles.Exemplares ciumentos podem se tornar agressivos quando disputam um objeto ou a atenção de alguém. A competitividade sem controle aumenta drasticamente os comportamentos indesejados, como pular nos donos e nas visitas, correr atrás do gato da casa, etc. Mas, por outro lado, a competitividade pode levar cães sem apetite a comer mais e cães medrosos a se tornarem mais corajosos.

Cão velhinho X novato:Muitas vezes um filhote faz o cão velhinho voltar a brincar, a comer com mais apetite e a disputar o carinho de seus donos. Mas é preciso ter cuidado para não deixar o mais velho de lado e para não permitir que o filhote o incomode demais. Devemos limitar o acesso do filhote aos locais preferidos pelo veterano, assim como repreender as brincadeiras indesejadas, para garantir sossego ao cão mais velho.

Educação do segundo cão:Sempre pergunto para as pessoas se é o primeiro ou o segundo cão que mais se parece com gente. A resposta costuma ser a mesma: o primeiro! Isso ocorre porque a nossa influência na educação e no comportamento do cão é muito maior quando não há outra referência canina. Se você estiver pensando em ter um segundo cão, prepare-se, portanto, para o novo cão ser mais parecido com cachorro e menos com gente. O primeiro cão costuma entender melhor o que nós falamos e fazemos, procura mais a atenção de pessoas do que de outros cães e costuma ser menos possessivo com seus brinquedos.

Conclusão:Sou a favor de se ter mais de um cão – com companhia a vida fica muito mais ativa e estimulante. Mas o proprietário precisa escolher adequadamente o outro cão e também ser ou se tornar um bom líder de matilha.

Fonte: Revista Cães & Cia, n. 354, novembro de 2008

Obesidade Canina e os florais de Bach

“ A resignação, que nos converte em meros passageiros desatentos na jornada da vida, abre-nos as portas a influências adversas incalculáveis e que nunca teriam oportunidade de entrar se vivêssemos o cotidiano com espírito de alegria e de aventura. Qualquer que seja a nossa condição, a de trabalhador numa cidade populosa ou a de pastor solitário nas colinas, esforcemo-nos em converter a monotonia em interesse, o dever aborrecido em uma alegre oportunidade para uma nova experiência e a vida cotidiana num intenso estudo da humanidade e das leis fundamentais do Universo .” - Edward Bach.

A obesidade não é apenas um problema humano.
Os animais domésticos estão ficando cada vez mais gordos. Cerca de 40 % dos cães levados às clínicas veterinárias, sofrem de obesidade.
Obesidade, por definição , é um acúmulo excessivo de gordura no corpo.
Os animais podem sofrer de obesidade fisiológica – devido a alimentos impróprios para seu consumo e falta de atividades físicas – ou patológica – que são as disfunções hormonais.
A primeira causa da obesidade é a superalimentação - alimentação rica em gorduras e carboidratos – doces, restos de comida, etc. ( causa fisiológica ).
25% dos cães sofrem de disfunções hormonais e 15% têm a obesidade do estresse ( solidão ou carência de atenção).
A obesidade apresenta maior incidência em animais adultos e idosos, sendo mais comum em fêmeas (do que em machos) e em animais castrados.
A obesidade pode levar a outras patologias : diabetes, problemas cardíacos e pulmonares, problemas de coluna, problemas ósseos, etc.
O excesso de peso é uma condição debilitante da saúde e, que deve ser corrigido pela prescrição de ração light pelo médico veterinário e exercício físico, também orientado pelo veterinário (o sedentarismo estimula o ganho de peso ).


Florais de Bach O Dr. Bach, médico inglês, desenvolveu uma medicina natural para tratar a saúde mental, emocional e espiritual, descobrindo 38 essências florais que são essências preparadas a partir de flores, arbustos e plantas que crescem espontaneamente, cada uma para um estado emocional específico.

Os florais de Bach atuam através do tratamento do indivíduo (humano ou animal) e não da doença ou dos seus sintomas. Os florais tratam os estados de alma negativos, os quais não são “combatidos” pois, isso lhes conservaria a energia. Os estados negativos de alma são inundados por ondas de energias harmoniosas. Segundo o Dr. Bach essas energias negativas, com a vibração das essências, “ se derretem qual neve à luz do sol .”

Os florais de Bach começam a atuar no corpo sutil, vão atravessando as várias camadas até chegar ao corpo físico, mais denso, melhorando a qualidade de vida da pessoa ou animal.
Os florais não são alopatia, nem homeopatia nem fitoterapia. São uma terapia energética, vibracional, podendo ser usada com quaisquer outras terapias, com quaisquer outras medicações.
As descobertas do Dr. Bach representam uma abordagem revolucionária no campo da recuperação da saúde física, mental, emocional e espiritual. Não importa qual seja a doença manifestada no corpo físico ou mental ou emocional ou espiritual – a causa primeira dessa condição pode ser erradicada .
Os remédios do Dr. Bach podem ser aplicados, eficazmente , na maioria das circunstâncias.

Giardíase Canina



A giardíase é uma doença comum de cães, gatos e humanos, que freqüentemente é subestimada. É uma zoonose importante e é imperativo que tanto o animal de estimação quanto a família protejam-se da infecção.
O tratamento pode fornecer um controle eficaz, mas, em muitas situações, as reinfestações são comuns, devido à dificuldade em se eliminar a fonte de infecção do meio ambiente.
As taxas de infecção são altas nas áreas onde existem grandes populações de humanos e animais, devido a maior oportunidade de transmissão direta e indireta da enfermidade.

A ingestão de somente 10 cistos é capaz de causar a infecção. A maior prevalência das infecções por Giárdia ocorre entre os indivíduos jovens, sem resistência imunológica, e que são mais suscetíveis à ingestão de material fecal.
As fontes de infecção mais comuns são água e fezes contaminadas. A transmissão fecal-oral de Giárdia é comum tanto em animais como em humanos; os animais em confinamento podem estar expostos a grandes quantidades de cistos infectantes no material fecal, o qual aumenta as possibilidades de transmissão da enfermidade.

Por isso eu sempre digo : só dê água mineral ou filtrada para o seu cão!

Outra coisa, caso você saia do banho ainda molhado, não deixe o cão lamber suas pernas e seus pés, porque dessa água também pega Giárdia...a do chuveiro.
Os trofozoítos de Giárdia não sobrevivem no meio ambiente. No entanto, os cistos são resistentes a alguns fatores ambientais, como águas com baixa concentração de bactérias e contaminantes orgânicos, e suscetíveis a outros, como altas temperaturas.

É considerada uma enfermidade emergente, devido à falta de métodos efetivos de controle em humanos e animais. Um dos principais problemas é a contaminação ambiental disseminada.

A Giárdia com seu ciclo de vida simples e a capacidade de seus cistos de sobreviver no ambiente, tem permitido que a infecção se converta em uma das mais predominantes enfermidades parasitárias em muitas espécies de mamíferos.

Passe um pano no ambiente com HERBALVET ou QBOA Com Sal ( em um balde com agua ). única coisa que mata os cistos da Giárdia no ambiente....(o bicho é resistente).


  • Sinais Clínicos


Os sinais clínicos podem ser severos, mas uma grande parcela dos infectados pode permanecer assintomática, e os animais jovens são os que, mais freqüentemente desenvolvem os sintomas. Os sinais clínicos da giardíase incluem diarréia muito mal cheirosa ( com aspecto de clara de ovo com pontinhos vermelhos ). aguda ou crônica, vômito, dor abdominal , desidratação, perda de peso ou redução do ganho do mesmo.Não existem sinais característicos da giardíase, pois diversas enfermidades intestinais se assemelham a ela, como ocorre com as gastroenterites virais, as bacterianas e as causadas por outros parasitos.Também se assemelha às alergias de origem alimentar, à enfermidade da má-absorção, a gastroenterite induzida por fármacos e as enfermidades alérgicas.


  • Diagnóstico

O método mais indicado, hoje, para a detecção de Giárdia nas fezes é a Flotação com Sulfato de zinco com centrifugação, um teste diagnóstico econômico e muito eficaz. Um fator importante é a necessidade de utilizar três amostras de fezes, coletadas em dias alternados, ao longo de uma semana. Isto porque a eliminação de cistos é intermitente, o que pode gerar resultados falso-negativos quando se utiliza uma única amostra.


  • Tratamento

Os agentes quimioterápicos incluem os nitroimidazóis ( metronidazol, tinidazol), furadolizona, benzimidazóis (febendazol, albendazol), entre outros.

  • Vacina

Está provado que a vacina estimula o animal a resistir ao parasita, sendo uma solução efetiva em longo prazo para o controle desta enfermidade parasitária, já que a imunidade natural contra Giárdia é de curta duração. Mesmo que os tratamentos se mostrem eficazes, a reinfecção em animais é muito freqüente , devido à dificuldade de se eliminar os cistos infectantes do ambiente. Um animal vacinado, além de protegido contra giardíase, não representará mais uma fonte de infecção a outros animais e até mesmo a seres humanos contactantes. PS: Não adianta dar a vacina depois do cão infectado.Dê depois das 3 vacinas polivalentes, são 2 doses. Não vou dizer que é eficaz e o cão nunca vai pegar, mas protege! O que faz o cão não pegar é a higiene do local, e água filtrada ou mineral.

Vacinas - V8 & V10 - Diferenças




Vamos falar um pouco sobre vacinas, pois muitas pessoas não sabem a diferença da V8 e V10.

Para quem não está habituado a estes termos, a V8 e a V10 são as vacinas conhecidas como polivalente/múltipla/combinada e AMBAS imunizam contra 07 doenças,


  • Cinomose

  • Hepatite infecciosa

  • Parainfluenza

  • Adenovirose

  • Coronavirose

  • Parvovirose

  • Leptospirose


Vamos a uma breve descrição das doenças:



  1. CINOMOSE
    Doença viral altamente contagiosa entre cães. De difícil tratamento a cinomose acomete com facilidade cães não imunizados e acaba levando a morte um numero altíssimo de cães sintomáticos. Em geral começa como um resfriado, as vezes o cão acometido apresenta um quadro de diarréia e em seguida acomete o sistema nervoso central, causando falta de coordenação principalmente nos membros posteriores e convulsões. Dos cães que conseguem se curar muitos deles acabam ficando com sequelas para o resto da vida.

  2. HEPATITE INFECCIOSA CANINA
    Causada pelo adenovirus tipo 1 é caracterizada por lesões hepáticas que podem causar aumento do fígado, dor, ascite (barriga d água) e icterícia (mucosas amareladas).

  3. ADENOVIRUS TIPO 2 e PARAINFLUENZA
    Esses dois agentes virais causam doenças respiratórias que, por si só não seriam muito graves mas, o que geralmente ocorre é uma contaminação secundaria por bactérias podendo tornar o caso bem mais grave evoluindo para uma pneumonia ou broncopneumonia.

  4. CORONAVIROSE
    Também causa um quadro de vomito e diarréia, as vezes com sangue, porem em geral mais brando que a parvovirose, podendo se tornar complicado se houver contaminação secundaria por bactérias.

  5. PARVOVIROSE
    Virose que acomete principalmente filhotes, em geral causando vomito e diarréia de sangue por alguns dias. Leva a uma profunda desidratação e a morte quando não tratada. Muitos cães, mesmo socorridos a tempo, podem não resistir a doença. No caso de filhotes entre 4 – 12 semanas de idade acometidos pelo vírus de forma sintomática ou não pode causar também miocardite, podendo levar a deficiência aguda do coração.

  6. LEPTOSPIROSE
    Estão presentes na vacina 2 sorotipos de leptospirose: L.canicola e L.icterohaemorrhagiae. Os sorotipos não são diferenciados clinicamente, somente em laboratório. A leptospirose é transmitida através da urina do rato podendo causar uma serie de sintomas desde apatia, vomito, icterícia a lesões renais severas e morte.O tratamento deve ser instituído o mais rápido possível e, mesmo tratados a tempo, alguns cães não resistem a doença.
    Antes de ser vacinado o cão precisa ser avaliado pôr um veterinário para ter certeza que seu organismo esta apto a receber a vacina, alem de veterinários darem carteira de vacinação assinada e uma segurança maior de que a vacina usada é de boa procedência e foi bem acondicionada.


Mas, como jogada de marketing, a multinacional fabricante da V10 diz que protege contra mais 2 (duas) doenças, Não é verdade....
A verdade é a seguinte: existem "tipos" diferentes da bactéria que provoca a leptospirose (leptospira).Podemos até fazer uma analogia com as raças caninas - diferentes raças, dentro da espécie canis familiaris; diferentes cepas, dentro da espécie leptospira.



A vacina V8 imuniza contra 2 cepas de leptospira: Leptospira canicola e Leptospira icterohaemorrhagiae.


A vacina V10 imuniza contra 4 cepas de leptospira: Leptospira canicola, Leptospira grippotyphosa, Leptospira icterohaemorrhagiae e Leptospira pomona.



O que é CEPA: Cepa é uma variante genética específica de um organismo.



Onde está o engano?


1) Muito dificilmente um cão contrairá leptospirose residindo em zona urbana. A lepto é doença de zona rural, transmitida pela urina de ratos, em paióis de cereais.


2) A imunização contra leptospirose dura apenas 6 meses. Seu veterinário já lhe disse que quando seu cão é vacinado pela V10, ele passa 6 meses "desprotegido" de 04 "doenças"! (na verdade, não são 4 doenças, é 1 doença só)
Quem moram em zona urbana, o reforço da vacina se dá anualmente.



Caso você resida em zona rural, há uma vacina específica para leptospirose, que deve ser refeita a cada 6 meses - segundo o fabricante.
Esperamos ter escarecido um pouco sobre as vacinas e doenças.
No próximo post vamos falar sobre a Giárdia Canina.

Mon Amour Megan