O cão e a chegada do bebê


O seu cão é o rei da casa, cercado de mimos por todos os lados, e então você engravida e claro, muitas coisas para resolver, como um novo quarto na casa, preparar enxoval.
Normal... para nós! Seu cão não faz a menor idéia de porque perdeu algumas regalias e porque você não tem mais tanto tempo para ficar com ele.
Ao passar do status de astro da casa, para mero coadjuvante ou pior... elenco de apoio, o cão passará a apresentar um comportamento anormal. Alguns deixam de comer se tornando apáticos e tristes. Outros se tornam intolerantes e rabugentos, ou somem escondendo-se em algum lugar da casa. Ainda tem aqueles que apresentam comportamento de filhote e outros defecam e urinam nos locais mais inadequados, como por exemplo, seu tapete preferido ou no seu quarto. Tudo para chamar a sua atenção...
Afinal, o que fazer para driblar o “ciúme” do pet quando chega o bebê?É importantíssimo preparar a rotina da casa, ou seja, as adaptações necessárias devem ser feitas com antecedência, para que o cão não sinta a mudança brusca, e não fique em segundo plano.Toda mudança prevista para depois do parto, seja na estrutura ou rotina da casa, deve ser introduzida aos poucos para o animal não associá-las com a chegada do bebê. Um truque interessante é levar peças de roupa do bebê para o cão cheirar.
Isso ajuda na adaptação. Da mesma forma, sons característicos do recém-nascido, como choro, podem ser gravados para o animal ouvir. Objetos do bebê, como brinquedos e os móveis, também devem ser colocados e apresentados antes da sua chegada.
É recomendável que a mãe não entre em casa com o neném no colo, para o animal não associar a ausência da dona à chegada da criança, assim como, evitar possíveis acidentes já que alguns cães têm o hábito de receber os donos aos pulos e fazendo “festinha”.
A forma de administrar o encontro é determinante para a boa socialização do cão com o bebê. Em casa, deve-se por o neném em contato com o cão para que se acostumem um com o outro. O cão sentirá curiosidade natural sobre o recém nascido. O dono então deve deixar o cão se aproximar, e com cuidado permitir que cheire a manta, os pezinhos, etc. Se o animal teve acesso às roupinhas do bebê antes da sua chegada, reconhecerá o cheiro.
É importante que seu cãozinho esteja saudável, com vermifugação e vacinação em dia, e por mais confiável, educado, bonzinho, treinado e obediente que ele seja, jamais deve ser deixado a sós com o bebê.Vale lembrar que esta mesma “disputa” do cão com o bebê pode ocorrer se o novo habitante da casa for outro animal de estimação.
Qualquer situação que altere a rotina do animal e que o leve a ter que dividir seu território e a atenção do dono, pode ter sérias conseqüências devido a brigas constantes.Enfim, agir com responsabilidade durante as “apresentações”, dando atenção a todos, não esquecendo de ninguém (mesmo que seja seu amigo canino). Afinal, amor e carinho são muito bons e tem pra todos da família!

0 Comentários:

Postar um comentário

Mon Amour Megan