Questionário PET


Nós amamos animais de estimação. E é por isso que queremos saber se você compartilha da nossa paixão, respondendo algumas perguntas sobre a saúde do seu pet. São apenas 10 perguntinhas! Clicar no link abaixo: 
Obrigada!







Escadinha para Cães

Hoje depois de tanto tempo sem postar ( sem tempo mesmo!!! mas tentarei postar com mais frequência agora ) irei falar sobre as escadinhas para cães. 
Só começamos a pensar nessa necessidade quando nossas cachorrinhas começaram a ter dificuldade pra descer do sofá e da cama aqui de casa... pra subir elas não tem, mas pra descer sim...
Eles ainda não são idosos, mas também já não são tão jovens assim... a minha mais velha está com 9 anos, a Megan.

Acho que já deveríamos ter adotado isso em casa antes. A escada ajuda muito a evitar lesões ou quedas de lugares mais altos, principalmente em cães idosos que já possuem dores na coluna e articulações. Gente!  é qualidade de vida para os cães! Eu não penso muito não quando existe algo que vai facilitar a vida das minhas meninas e meninos. Tem quem ache besteira e torce a boca quando vê a escada aqui em casa para acesso deles no sofá, mas a verdade é que não ligo pois quem vive aqui são eles. 
O impacto dessa escada foi bem positivo , eles usam direto, sobem e desce com muita facilidade já no primeiro dia...se adaptaram muito bem! E quando eu quero levo ela para o meu quarto e eles podem subir com mais facilidade na minha cama na hora de dormir, claro que sem escada eles sobem mas já procuram a escadinha...

A minha escadinha é de espuma, vem com uma capinha com ziper que dá pra lavar. Mas no mercado existem vários modelos de escadas e tecidos... eu optei pela de espuma pois é macia e não machuca as patinhas... 

Antes que pensem,não estou vendendo! Estou só indicando um produto que adquiri e gostei muito.
Mas posso indicar onde comprei a minha ok?


Segue alguns tipos de escadinhas: 

ESSA É A MINHA






























Espirro reverso (Respiração Paroxística Inspiratória)


O Espirro reverso (Respiração Paroxística Inspiratória) é um problema muito comum de acontecer com nossos cachorros, porém muitos donos acreditam que eles estejam engasgados ou tendo algum ataque asmático. Para os donos, os poucos segundos de um episódio podem parecer eternos.
Apesar de poder acontecer em todas as raças de todos os tamanhos, os eventos acontecem mais em raças de porte pequeno.O nome desse fenômeno observado em cães, principalmente em braquicefálicos (braquicefálicos são os cães que possuem o focinho achatado), é respiração paroxística inspiratória ou também comumente conhecido como espirro reverso, já que de fato parece que o cão está querendo segurar o espirro. Em um espirro normal, o ar é empurrado para fora do nariz. Em um espirro reverso, o ar é puxado rapidamente para dentro do nariz, fazendo um som caraterístico.
Quando acontece dos cães terem espirro reverso, a maioria volta a respirar normalmente depois dos episódios. Pode ocorrer diversas vezes na vida de um cachorro e geralmente acontece aleatoriamente.
Espirros reversos são causados por um espasmo na garganta e no palato mole. Pode ser causado por uma irritação na área da garganta, faringe ou na laringe. Isso pode ser de excitação, puxões na coleira, alergias (pólen, cheiros fortes), infecções respiratórias, gotejamento pós-nasal, ou para alguns cães, as mudanças bruscas de temperatura.

 Há razão para se preocupar?

Segundo o Dr. Hiebert para o VetStreet, o espirro reverso é como uma tosse ou um espirro. O espirro reverso serve para liberar o que quer que esteja irritando, como um objeto estranho. Quando acontece de forma ocasional, é perfeitamente normal.
Pode acontecer em cachorros desde a mais tenra idade e se estender até a maioridade. Em outros, o cachorro começa a apresentar eventos depois de adulto e de fato se torna algo crônico. Se a frequência e severidade aumentarem, vindo acompanhados de um estranho corrimento nasal, leve o seu cachorro ao veterinário. Só ele poderá descartar disgnósticos como um corpo estranho no trato respiratório, câncer nasal, pólipos ou tumores , ácaros nasais, colapso na traqueia ou uma infecção respiratória.
Em todos os casos, é imprescindível que você converse com o médico veterinário sobre os eventos para que ele possa julgar a condição física do cão e, se necessário, passar exames para averiguar mais afundo as causas.
Como esses eventos ocorrem de maneira aleatória, é provável que durante a consulta o cachorro não apresente nenhum sintoma. Por isso, se possível, grave um evento para que o seu veterinário possa ver como são os episódios de espirro reverso.

Sintomas
Quando o cão está tendo um episódio de espirro reverso, ele:

❤      Fica parado
Estica o pescoço
Cotovelos afastados
Olhos arregalados
Movimentos rápidos inspiratórios com a boca fechada
Sons vindo das passagens nasais
Tosse

O que fazer na hora de um espirro reverso?

Uma massagem de leve na área da garganta
Assoprar delicadamente no nariz do cão
Encorajá-lo a beber água
Cheque se as gengivas e língua do cão estão na cor normal
Mantenha a calma – É comum que durante os episódios, os cães fiquem estressados. Porém, muitos ficam ainda mais estressados em consequência da reação dos donos.





fonte: http://tudosobrecachorros.com.br/

Cuidados com seu cão no Verão





O Verão está ai, e assim como os humanos os cães também sentem e sofrem com o calor da estação. 
Como donos responsável precisamos ter cuidados para que nosso melhor amigo possa aproveitar os belos dias de sol sem ter problemas por conta disso. 


Listamos os principais cuidados que devemos ter com nosso cães nesses dias de calor.

Atenção aos horários do passeio: Pegar sol para os cães é ótimo, é uma das necessidades básicas do nossos amigos, mas cuidado com os horários que o sol está mais forte
entre 10:00h e 16:00h, neste horário se for passear ou brincar, faça uma atividade mais curta. Se você perceber que seu cãozinho está deitando, se escondendo na sombra ou
ofegante demais, interrompa a atividade e ofereça água fresca imediatamente.
Chão Quente: Nossos amigos “normalmente” não usam tênis como nós. Nos dias muito quentes os pisos de alvenaria ou asfálticos, que ficam exposto ao sol, esquentam muito e
pode machucar as almofadinhas dos nossos amigos. Teste você mesmo, com o tato, se o piso por onde vocês vão passear está adequando ou procure um caminho gramadinho
ou na sombra.
Água Fresca: Água sempre fresca!!! Assim como nós, os cães perdem líquidos e precisa se hidratar. Deixar água a vontade é muito importante, além disso devemos prestar
atenção onde deixamos a água, se exposta ao sol, vai esquentar rapidamente e água morna ou quente é um verdadeiro veneno para nossos amigos. Troque a água várias vezes
ao dia para garantir que ela esteja fresca. E no passeio interrompa algumas vezes e ofereça uma aguinha, ele vai adorar e aproveitar melhor o passeio.
Deixar Cão no Carro: NUNCA!!!!!  Os cães precisam de ar fresco, pois através da respiração eles transpiram. No carro além do calor proporcionado pelo sol a respiração do cão faz esquentar ainda mais. Não deixe seu cão no carro, mesmo na sombra. A não ser que esteja com alguém dentro do carro junto! se não poder ser assim é melhor deixá-lo em casa com certeza.

Sombra a Disposição: A exposição excessiva ao sol é prejudicial para os cães, então veja se ele tem uma sombrinha a disposição, uma árvore, uma tenda, ou deixe a por,ta da
casa aberta para que ele possa entrar e se protejer do sol. Os cães não são bobos, quando as coisas esquentam eles também procuram uma sombrinha, é comum ver eles
tentando se refrescar deitando no piso cerâmico geladinho.
Banho e Secagem: Não use água quente nem secador muito quente, use água morninha ou temperatura ambiente, e o secador manere na temperatura.
Roupas e Acessórios: No calor não é necessário usar roupinhas ou acessórios, mas se você gosta realmente de usar algo para incremetar o visual do seu cãozinho tente um boné
ou chapéu.
Ar-Condicionado  pode esconder um perigo: Para quem tem cão dentro de casa e usa o ar-condicionado não esqueca de verificar se o aparelho está limpo, pois a sujeira no
ar-condicionado pode fazer mal para os nossos amigos. Se for filhotinho ainda, evite o ar, pois ele pode pegar uma pneumonia, nesse caso de preferência ao ventilador.
Pelo Curto e Pele Branca: Os cães de pelagem rala, “pelados” ou de pela clara pode ser afetado pelo sol, pergunte ao veterinário sobre o uso do protetor solar específico para
cães. Cuidado especial para a área do focinho onde pode queimar ao sol.
Não esqueça, com filhotinhos o cuidado é redobrado porque eles são muito mais sensíveis que os adultos. E aproveitem o verão com o seu dog.


Cuidados com seu cão no inverno!




Quando a temperatura começa a baixar, não são só os humanos que sentem frio, os animais também. Os mais afetados são os de pelagem curta. Algumas raças, como o Husky Siberiano, o Malamute do Alaska e o São Bernardo, possuem características que os fazem mais resistentes ao frio (subpêlo e maior camada de gordura sob a pele).


Podemos observar que no frio, algumas doenças aparecem com maior freqüência.
Assim, devemos preparar nossos animais para o inverno.


O cão pode apresentar sinais clínicos que lembram muito o resfriado humano, como tosse, espirros, febre, falta de apetite e coriza. Damos o nome a esse quadro de traqueobronquite ou "tosse dos canis". Essa doença pode aparecer em qualquer época do ano, porém, há uma maior predisposição nos meses frios, pela baixa temperatura.


A doença pode ser causada por vírus, bactérias ou fungos e é altamente contagiosa entre os cães através do contato direto entre os animais.
Além das doenças respiratórias, os animais idosos com problemas osteoarticulares como artrose, calcificações na coluna ou hérnia de disco, passam a sentir mais dor quando expostos a baixas temperaturas.


Choques de temperatura, como dar banho, secar o cão com secador (em casa ou pet shop) e sair em seguida com ele na rua, será prejudicial, seja ele jovem ou não.
Aconselha-se tomar os seguintes cuidados no inverno:



  •   Evitar banhos em dias muito frios e diminuir a freqüência de banhos no inverno ; - Manter a pelagem do animal mais comprida no inverno, evitando tosas muito baixas;
  • Colocar uma roupa no cão de pelagem curta, caso ele se ressinta muito do frio.
  • Existem animais que tremem de frio exageradamente! Cães grandes e gatos não toleram roupas;
  • Não deixar brincar no jardim nos dias muito frios ou chuvosos, no inverno;
  • Vacinar seu cão anualmente contra a traqueobronquite, se ele freqüenta locais com outros animais (pet shops, hotéis para cães, exposições);
  • _ Quando der banho em seu cão, use água morna e seque-o bem. Não deixe que ele saia na rua, no mínimo por 30 minutos após o banho. Isso vale, principalmente, para cães que tomam banho em pet shop, pois o secador é extremamente quente e haverá um choque de temperatura se ele sair no frio;
  • Levar seu cão para passear na rua nos horários mais quentes do dia (das 11h às 15h);

_ Aumentar em 20 a 30% o alimento do seu cão no inverno. Isso não vale para cães e gatos obesos, sem atividade ou com grande tendência a ganhar peso.


Todo animal tem direito a um abrigo no inverno. Na natureza, os cães selvagens podem se abrigar em tocas durante o frio.
Providenciar uma casinha para seu animal, caso ele viva em um quintal, ou deixá-lo preso num local abrigado como uma garagem, lavanderia, ou mesmo dentro de casa, quando a temperatura estiver muito baixa. Assim, quando você estiver quentinho, embaixo dos cobertores, poderá dormir tranqüilo, com a certeza que seu cão não está passando frio!


Roupas
Algumas pessoas questionam sobre o uso de roupinhas em cães: é necessário ou trata-se apenas de um "luxo" dos donos?
O cão possui uma camada de pêlos que o aquece nos dias mais frios. Algumas raças possuem duas camadas de pêlo, além de uma grossa camada de gordura sob a pele. Para esses cães, o frio não é problema e a roupa é dispensável. No entanto, as raças de pelagem curta e até mesmo raças com pêlos mais longos, mas que não possuem adaptação para o frio, sofrem com temperaturas baixas. Nesse caso, a roupinha é necessária para aquecer o animal e não é apenas um luxo do dono.


Na natureza, os cães selvagens e lobos têm as tocas para se abrigarem e dormem uns próximos aos outros para se aquecerem no frio. Além disso, estão naturalmente adaptados às baixas temperaturas, o que não ocorre com muitas das raças de cães criadas pelo homem.
O uso de capinhas de chuva pode parecer um grande supérfluo para alguns, no entanto, animais idosos e/ou com alterações de coluna, podem ter problemas ao se molharem nos dias frios e chuvosos. Isso sem contar com o odor da pelagem, o conhecido "cheiro de cachorro molhado"... Assim, se o cão tomar chuva, deve ser seco para não cheirar mal.


Em países com temperaturas muito baixas no inverno, o uso de botinhas evita que os cães queimem as patas na neve e no sal que é jogado sobre ela. Nesse caso, há necessidade para o uso desse acessório.
Mas, devemos ter em mente que a roupa pode ser um grande incômodo para nossos amigos, quando o seu uso não passa de uma tentativa do dono de "humanizar" o animal.
No mercado, existem todos os tipos de acessórios, de bonés e gravatas a fantasias para cães.
O exagero pode ridicularizar o animal; use em seu animal apenas o que é necessário (para aquecê-lo no inverno, por exemplo) e cuidado para não ridicularizá-lo. O que pode parecer "bonitinho" para você, pode ser detestável para ele. Não insista se o cão não quiser usar a roupinha, mesmo que seja contra o frio. Dê-lhe o direito de escolher o seu próprio "guarda-roupa". Roupas de lã podem agravar o quadro de animais alérgicos e provocar muitos nós nos pêlos de raças de pelagem longa . Roupas em gatos, nem pensar. Os bichanos são espertos e procuram lugares quentes no inverno. Detestam roupas ou qualquer outro acessório.

Os animais e o Chocolate



O chocolate é muito popular como guloseima para os animais. A maior parte das pessoas adora chocolate e muitos dos cães também. No entanto o chocolate não deve ser dado a animais. O chocolate contem um alcalóide chamado Teobromina. Este é um produto que sendo usado como um diurético , estimulante do coração ou como vasodilatador, pode ser venenoso em excesso. Certamente o cão teria que comer uma quantidade enorme do chocolate para ficar intoxicado, perguntam muitos donos? Não necessariamente.


As doses tóxicos são indicadas em cerca de 100 mg/kg sendo fatais perto das 200 mg/kg. A quantidade de teobromina no chocolate depende do tipo de chocolate. O chocolate de culinária e o chocolate preto amargo contêm entre 15-20 mg/grama visto que o chocolate de leite popular contem somente aproximadamente 1,5 mg/grama. Assim um Pinscher pequeno que pesa somente 2a 4 quilos teria que comer uma quantidade ínfima de chocolate para evidenciar potenciais sinais de envenenamento. Mesmo um cão com o tamanho de um Labrador poderia morrer se comesse 200 gramas de chocolate de culinária . No outro extremo da escala encontra-se o chocolate branco que é menos tóxico.


Quais são os sinais de envenenamento por chocolate?


Dependendo da quantidade comida realmente e do estado de saúde do cão, às vezes nenhum sinal é aparente e o cão será encontrado com uma falha cardíaca. Isto é provável de acontecer em cães mais velhos com problemas cardiacos. Os sinais habituais são :


Excitação e nervosismo
Vómitos e diarreia
Beber muita água
Espasmo


Que fazer?


Se tiver alguma suspeita que seu cão comeu uma quantidade excessiva do chocolate, contacte o seu médico veterinário sem demora . Como logo os sinais ocorrem? Outra vez, depende em cima da quantidade de teobromina ingerida . Um dos problemas com envenenamento por chocolate é que os sinais demoram a surgir frequentemente por mais de 12 horas. Um outro problema é que a teobromina uma vez absorvida pode às vezes permanecer activa no corpo por sobre 24 horas antes de ser eliminada. A morte na sequência de ingestão de doses fatais de doses fatais ocorre tipicamente aproximadamente 24 horas mais tarde.
Mesmo sem mostrar nenhuns sinais é essencial que o cão esteja mantido sob a observação próxima pelo menos 24 horas para verificação de algum sintoma anómalo.
Os cães são os mais afectados devido a gostarem muito desta guloseima. No entanto os gatos também podem ser afectados por ingestão de chocolate.


Blog Fora do Ar


Olá Pessoal, 

Alguns devem ter notado que o blog ficou fora do ar por alguns dias, peço desculpas! Mas estamos de volta!

Como encerrei a criação faz um bom tempo, agora o que eu pretendo fazer é postar fotos dos meus filhos de 4 patas, alguma novidade, novas dicas, notícias interessantes, mas tudo sobre cães, independente se for de raça ou não...

Se alguém tiver alguma dúvida, se eu puder ajudar eu ajudo! sendo sobre shihtzu ou outra raça. Posso ajudar com a experiência que tive com eles, cuidados, criação, banho, etc... Não sou veterinária então minha ajuda é limitada.

Vocês podem entrar em contato pelo whatsapp: 48 8816-4102 ou pelo meu facebook, pq o e-mail já não abro, está inativo.

Então, como agora está chegando as festas de fim de ano, eu tenho um post bem legal para os patudos!

Sobre fogos de artifícios.... essa porcaria que inventaram...

Os nossos filhos ficam alucinados, fogem de casa, pulam janela, tremem, babam...uma judiaria total!!! Eu sei pq alguns dos meus, eu fico abraçada até passar, .... eu sofro vendo eles assim....


Eu já tentei colocar algodão dentro do ouvido mas nunca resolveu.... até aparecer esta dica:

OBS: Não sei se vai funcionar com os meus, mas com certeza eu vou testar! 

************************************** 

Quem tem animal de estimação sabe como é estressante para eles lidar com os barulhos feitos por explosivos, como os fogos de artificio, situações que os expõem a altos níveis de ruídos – dá um aperto no coração vê-los em pânico.

Para amenizar o sofrimento do seu filho peludo, encontramos uma técnica – muito simples – chamada Tellington Touch. 

Esse método se baseia na informação de que animais que possuem esse tipo de pavor também têm grande sensibilidade nas regiões traseiras, patas e orelhas.

Sendo assim, consiste em atar seu cão com um pano para que a circulação sanguínea das regiões extremas do corpo seja estimulada, amenizando as tensões localizadas no dorso do animal e diminuindo sua irritabilidade. Veja:




Amarre seu cachorro de forma que a faixa englobe peito e dorso (formando um oito), finalize dando um nó na região traseira, mas certifique-se que não esteja exatamente sobre a coluna.

Por que funciona?

O ato de “amarrar” seu cachorro reverbera no sistema nervoso dele, que recebe a informação sensitiva, envia ao cérebro e o deixa mais calmo, visto que essa pequena pressão ativa seu sistema nervoso autônomo.

Conforme o corpo sente a pressão das faixas, sua psique e tronco entram em harmonia, fazendo com que o pet sinta-se mais seguro e possa enfrentar momentos que lhe causavam medo e pavor.

De acordo com Helena Truksa, bióloga com foco em psicologia e especializada em comportamento animal na Ethos Animal, a técnica funciona, mas não pode ser considerada como a salvação. Pois há a questão do nível da fobia que o cão possui e isso varia de acordo com cada pet.

Contudo, ela complementa dizendo que “os cães sentem-se mais seguros em locais pequenos e apertados, e as faixas e camisetas desenvolvidas com essa finalidade, simulam esta sensação.”

Quem criou?

Segundo uma publicação no site The Ann Arbor News, a técnica ‘Tellington Touch’ foi desenvolvida por Linda Tellington-Jones, que inicialmente aplicava esse método em cavalos. No entanto, hoje o procedimento é utilizado no mundo todo para amenizar também as fobias e traumas em outros animais, como os cães.



Pela internet é possível encontrar produtos específicos, como tecidos e camisetas caninas anti-estresse. Mas “isso não quer dizer que o cachorro vai ficar tranquilo […] apenas vai ter menos medo da situação”, ressalta Truska. 

E lembre-se: pegue leve na hora de apertar a faixa.




Mon Amour Megan